meu malvado favorito montanha

A bipolaridade provavelmente te faz sentir que sua vida é uma montanha russa radical: com altos altíssimos, com direito a ficar de ponta cabeça até, mas quedas que te levam pro fundo do poço.

E ao contrário de quem sofre de um câncer agressivovocê não ganha a simpatia das pessoas. Sua doença é invisível, envolta em tabus e preconceitos.

Isso te faz se sentir pior e você se sente mais só, certo?

Por isso indico os grupos de apoio gratuitos que podem te ajudar num primeiro momento, naquela fase em que você precisa falar da doença e encontrar quem passa pela mesma situação.

Ao perceber que você não está só e que não é o único que enfrenta o Transtorno Bipolar, sua dor vai ser aliviada.

monstros sa abraço

MAS ATENÇÃO: o grupo pode mais te atrapalhar do que te ajudar, se a postura dos participantes for:

1- Remoer doença: focar só no problema e não nas soluções.

2- Ignorar as soluções: não propor práticas cientificamente comprovadas que geram saúde

3- Casar para sempre: falar da doença como se houvesse um contrato estabelecendo que ela é para toda a vida. Não é! Você tem a escolha de se separar quando quiser.

Com isso em mente, aproveite o suporte que você pode ter nos grupos de apoio.

Bipolaridade: grupos de apoio

Abaixo fica a dica de 3 grupos selecionados com muito carinho especialmente pra você!

I) ABRATA: “Apoia os portadores de depressão e bipolaridade, bem como seus familiares e amigos.”

II) NEURÓTICO ANÔNIMOS: “Acolhe pessoas com perturbações emocionais que tenham o sincero desejo de sarar.”

III) REDE SOCIAL DE SAÚDE MENTAL: É tipo um Facebook da saúde mental: agrega quem sofre de transtornos mentais e profissionais da saúde. Ótimo pra você pesquisar mais grupos de apoio.

Twittável: "Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade 
através de muito trabalho" Clarice Lispector @anamariasaad 

antonio banderas internet

“Ah, mas na minha cidade não tem!” – pesquise!!!

Tem um cara que sabe tudo e poderá te ajudar, o GOOGLE!

Então pergunte pro Google sobre grupos de apoio na sua cidade e verifique na prefeitura, afinal ela não serve só de escritório pro prefeito, tá!

Lá eles podem te informar sobre o que rola na sua cidade.

É isso lindeza, e agora me diga nos comentários abaixo:

Você se sente muito só? Um peixinho fora dágua? E o que você faz pra amenizar essa solidão? Você já tentou grupos de apoio? Tem dica de algum?

Me conta sua experiência nos comentários abaixo, lembre que aqui já somos uma comunidade onde pessoas vem buscar conforto, conhecimento e inspiração, logo sua vivência pode ser exatamente o que alguém precisa pra se sentir confortado e compreendido.

IMPORTANTE: compartilhe seus pensamentos e experiência diretamente nos comentário. Links para outros posts, vídeos, etc, serão deletados porque são identificados como spam.

Gracias por nos visitar!

E lembre que bost#@s acontecem na vida, faz parte e você não tem controle sobre isso. Mas você pode controlar o modo de encarar essa merd#@ toda. Eu te convido a usá-la como adubo para seu crescimento interno, topa o desafio?

Bjoka e Força na Peruca! 
Com  Amor, 
Ana Maria Saad 🙂

toda. Eu te convido a usá-la como adubo para seu crescimento interno, topa o desafio?

Gifs: Feitos por amigos
Categorias: Apps, Livros & Cia

Ana Maria Saad

ET em missão na Terra: te empoderar com o Super Di Lifestyle - Você emotionally fit

8 comentários

Leo · 27 de julho de 2016 às 15:51

Olá, minha depressão começou a anos atrás após minha separação, de lá pra CA não consigo me relacionar por muito tempo. Acho algumas coisas normais para uns uma ofensa para mim, acabo me isolando, recusando festas até mesmo convite de mulheres. Não consigo acreditar mais em nada nem em ninguém. Quando passo por essa fase parece que aparece gente somente para sugar minha felicidade, a pouca que consegui cultivar. Quando penso besteiras pra fazer em minha vida, delito tudo e vou dormir…choro…me irrito..penso em desistir…canso e durmo…acordo bem, mas após umas horas começa tudo novamente. Hj não tenho mais os amigos de antes, fiquei solteiro, faço actividades físicas, vou praia mas tudo em vão. O ruim é que quando estou triste nada flui… acabo deixando ou perdendo emprego, parceira, amigo…nada mais me agrada. Existe alguma coisa que eu possa tentar de verdade para resolver isso?

Hélio · 24 de setembro de 2015 às 23:27

Detesto toda remédio, sinto-me abatido e sem prazer para realizar qualquer tarefa.

    Ana Maria Saad · 25 de setembro de 2015 às 10:49

    Hélio,

    Se uma pessoa que sofre de coração tomar o remédio certinho, mas continuar sedentária, se alimentando mal e deixado se levar pelo estresse, o que vai acontecer com ela?

    Bingo! Um infarto ou algum outro piripaque, né.

    Com os transtornos mentais a mesma coisa. NÃO BASTA SÓ TOMAR REMÉDIO.

    É preciso fazer terapia, exercicio fisico, mergulhar no autoconhecimento, praticar meditação.

    É preciso abrir essas portas: https://youtu.be/_QvVmilazzU

    Abra!

Ricardo Pedreira Desio ( Ricardo Desio) · 9 de agosto de 2015 às 06:19

Eu já enviei o meu comentário. Não sei o significado : ” Seu comentário está aguardando moderação”.

    Ana Maria Saad · 12 de agosto de 2015 às 20:20

    Significa que vamos ver se ele será publicado!
    🙂

Ricardo Pedreira Desio ( Ricardo Desio) · 9 de agosto de 2015 às 06:16

É bom saber coisas a respeito da bipolaridade/depressão. Durante vários anos tomei
antidepressivos.( o último : Sertralina ). Não tomo mais nenhum antideprê.
Convivo com os meus altos e baixos porém, não tenho a dualidade euforia – tristeza profunda. GASTO MAIS DO QUE GANHO E TENHO DÍVIDAS. Isso é que realmente me incomoda. EM TEMPO : Sou professor universitário aposentado ( área : Relações Públicas e Turismo ). SEMPRE GANHEI POUCO.. É VERDADE!. O meu benefício do INSS é : TRES SALÁRIOS MÍNIMOS. Sou um tipo solitário porém, consigo me relacionar com as pessoas. Sou artista plástico autodidata e já faz quarenta anos que
exponho os meus trabalhos. MAS, eu fico frustrado porque não consigo viver desse meu trabalho. Essa frustração pode gerar bipolaridade e/ou depressão ? Ou será que convivo com pessoas erradas ? Tenho 75 anos de idade e vivo sozinho depois da morte da minha mãe , ano passado, aos noventa e nove anos . AH! sou gay e não tenho parceiro fixo e faço ginástica na SMART FIT.
Abraço,
Ricardo Desio

    Ana Maria Saad · 12 de agosto de 2015 às 20:24

    Querido, adorei o relato!
    E se vc nao tem nenhum problema fisico (anemmia, tireoide, etc) que possam causar um transtorno, entao o buraco é mais embaixo…

    Ninguem adoece a toa, e o que sugiro é que vc ganhe conhecimento sobre isso pra que suas fichas caiam e vc descubra as razoes de ter ficado assim pra poder ir em busca das soluções.

    Então se inscreve DE GRAÇA no nosso Congresso que sera pela internet, vc assiste da onde estiver. Teremos varios especialistas com palestras bem bacanas e pessoas que superaram esse tipo de coisa. ESSE É O LINK, SE INSCREVE: http://www.anamariasaad.com.br/congressomedismente/

    No Congresso, vc ganhara um conhecimento que vai te surpreender acerca dessas doenças. Ontem mesmo tivemos uma aula ao vivo com uma psiquiatra que falou sobre isso, o link ta aqui: http://www.anamariasaad.com.br/o-que-e-depressao-ansiedade-e-outras-doencas-emocionais-e-como-se-curar/#more-2427

    conhecimento liberta Ricardo!

Os comentários estão fechados.