backstreet boys grita

Borderline, um transtorno de personalidade que te faz sentir too much. E por viver à flor da pele, suas relações são tumultuadas, parece que ninguém te entende.

Isso te faz sentir aquele temido abandono e a solidão te massacra, é assim?

Por isso indico os grupos de apoio gratuitos que podem te ajudar num primeiro momento, naquela fase em que você precisa falar do transtorno e encontrar quem passa pela mesma situação.

Ao perceber que você não está só e que não é o único que enfrenta o Transtorno de Personalidade Borderline, sua dor vai ser aliviada.

MAS ATENÇÃO: o grupo pode mais te atrapalhar do que te ajudar, se a postura dos participantes for:

1- Remoer o transtorno: focar só no problema e não nas soluções.

2- Ignorar as soluções: não propor práticas cientificamente comprovadas que geram saúde.

3- Casar para sempre: falar do transtorno como se houvesse um contrato estabelecendo que ele é para toda a vida. Não é! Você tem a escolha de se separar quando quiser.

Com isso em mente, aproveite o suporte que você pode ter nos grupos de apoio.

diario do vampiro

Borderline: Grupos de Apoio

Abaixo fica a dica de 2 grupos selecionados com muito carinho especialmente pra você!

I) NEURÓTICO ANÔNIMOS: “Acolhe pessoas com perturbações emocionais que tenham o sincero desejo de sarar.”

II) REDE SOCIAL DE SAÚDE MENTAL: É tipo um Facebook da saúde mental: agrega quem sofre de transtornos mentais e profissionais da saúde. Ótimo pra você pesquisar mais grupos de apoio.

“Ah, mas na minha cidade não tem!” – pesquise!!!

Tem um cara que sabe tudo e poderá te ajudar, o GOOGLE!

Então pergunte pro Google sobre grupos de apoio na sua cidade e verifique na prefeitura, afinal ela não serve só de escritório pro prefeito, tá!

Lá eles podem te informar sobre o que rola na sua cidade.

Twittável: "Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e 
esperar resultados diferentes" Einstein @anamariasaad

pedindo ajuda

É isso lindeza, e agora me diga nos comentários abaixo:

Você se sente muito só? Um peixinho fora dágua? E o que você faz pra amenizar essa solidão? Você já tentou grupos de apoio? Tem dica de algum?

Me conta sua experiência nos comentários abaixo, lembre que aqui já somos uma comunidade onde pessoas vem buscar conforto, conhecimento e inspiração, logo sua vivência pode ser exatamente o que alguém precisa pra se sentir confortado e compreendido.

IMPORTANTE: compartilhe seus pensamentos e experiência diretamente nos comentário. Links para outros posts, vídeos, etc, serão deletados porque são identificados como spam.

Gracias por nos visitar!

E lembre que bost#@s acontecem na vida, faz parte e você não tem controle sobre isso. Mas você pode controlar o modo de encarar essa merd#@ toda. Eu te convido a usá-la como adubo para seu crescimento interno, topa o desafio?

Gifs: feitos por amigos
Categorias: Apps, Livros & Cia

Ana Maria Saad

ET em missão na Terra: te empoderar com o Super Di Lifestyle - Você emotionally fit

10 comentários

Lan · 15 de setembro de 2016 às 08:59

Gente, socorro…
Quero muito ajudar minha namorada. No momento ela nega que tem Borderline, apesar de já ter sido diagnosticada, não quer terapia e não se dá conta ue as coisas podem mudar. Um help aí…

    Mariana Bottan · 22 de setembro de 2016 às 17:52

    Olá Lan, este guia foi feito com muito amor pra responder as principais dúvidas e ser uma luz no fim do túnel. Como são muitas pessoas pra respondermos precisamos que antes você leia tudo e lá vc encontrará a resposta pra muitas destas dúvidas e entenderá como nosso trabalho pode te ajudar!

    Acesse aqui: http://www.anamariasaad.com.br/guia-vencer-a-depressao-e-ansiedade-panico/
    Bjs e força!

Adriana · 29 de março de 2016 às 05:43

Socorro estou gritando por dentro queimando como uma bomba em chamas ,peço a ajuda não sei mais o que fazer, ontem estava lendo sobre os transtornos boderline e me indetifiquei muito entrei em desespero porque sempre pergunto a Deus o que eu fiz para merecer está vida infeliz já tive tantas oportunidade mais perdi todas pelo meu jeito de ser , procurando por algum tipo de terapia gratuita encontrei esta página que me deu um pouco de esperança , vivo na italia e não sei se aqui existe este tipo de terapia em grupo , se alguém puder me ajudar com algum grupo online ficarei grata .Não quero pede a minha família e tampouco escutar as duras palavras do meu marido que serei sempre infeliz que tiro a paz das pessoas que é melhor morrer que viver do meu lado por favor me ajudem ……!!!!!

    Ana Maria Saad · 5 de abril de 2016 às 15:52

    Adriana, veja os vídeos que enviei no seu email. Vc precisa olhar para si, não se apegue ao rótulo da doença, se preocupe em cuidar do ser humano que vc é e entender pq adoeceu. Existe uma razão de ser. a saída está no autoconhecimento. Nossoo club éum grupo online de apoio nesta jornada que te dará conhecimento para buscar as ajudas certas e implementar hábitos na sua vida para sair do ciclo da doença. mas isso envolve trabalho interior e disciplina, pois não há cura sem autoconhecimento e mudança do estilo de vida. Portanto veja o material que te mandei e depois veja informações sobre nosso programa online: anamariasaad.com.br/clubdacachola.
    Se vc se identificar com a nossa proposta volte a me escrever que te explico mais sobre nosso programa (como ele é online vc poderá fazer da onde estiver). Beijos e força!

Beto · 29 de fevereiro de 2016 às 13:57

Eu sou casado faz 6 anos. Eu e minha esposa temos 2 filhos e faz pouco mais de uma semana que ao pesquisar no Google sobre comportamentos 8 ou 80 que me deparei com o TPB. Eu não me julgo capaz de diagnosticar mas digo que quase tudo o que li me faz entender o que a minha esposa passa. Antes de ler sobre a TPB, eu julgava a minha esposa uma criança mimada, uma pessoa manipuladora, preguiçosa, mal caráter, capaz de me tirar do sério e tratar muito mal nossos filhos sem razão aparente. Eu pedi que ela lesse sobre a TPB e ela falou que leu e que se viu ali também, mas que tem medo de saber se tem ou não. Para ser sincero depois que eu li sobre isto, me sinto aliviado, tudo o que a minha esposa faz que me desagrada hoje eu consigo perceber que é involuntário. Eu gostaria muito de poder participar de algum grupo, talvez direcionado para maridos de esposas borderline para poder de alguma forma ajudar alguém e ser ajudado. Eu tenho muito amor pela minha esposa e pela minha família, eu não vou me separar dela e nem quero que ela receba qualquer tipo de rótulo que a desabone. Borderline não pode ser visto como sobrenome de uma pessoa por isto eu quero que poucas pessoas do nosso convívio saibam o que acredito ter descoberto e que enquanto puder – ou enquanto ela quiser – vamos manter em segredo este conhecimento que estamos assimilando. Apesar de terem acontecido muitas situações vexatórias em diversos lugares em que eu estava do lado dela, sei que existem muitas situações em que conseguimos estar bem. Hoje em parte pela dificuldade dela em compreender nossa real situação financeira e também por me fazer me sentir muito mal em não fazer alguma vontade dela, estamos muito mal financeiramente, mas ainda assim estou me sentindo aliviado porque acredito que posso compreendê-la e ajudá-la. Minha esposa diz que não se encontrou ainda e já abandonou 3 faculdades e está fazendo cursinho para tentar uma outra faculdade e eu disse para ela que o passo zero é ela querer dar atenção para ela mesma primeiro. Espero conseguir ser um bom marido, espero que meus filhos tenham uma boa infância e espero que possamos evoluir como casal. Estou desabafando e ao mesmo tempo pedindo ajuda, eu não quero que ninguém se sinta mal pelos comentários que fiz, mas que sempre tenham muita esperança e não fiquem se rotulando, em primeiro lugar somos seres humanos e de perto ninguém é lá muito normal. Se vocês vissem a minha cara iam entender o que quis dizer, rsss.

    Ana Maria Saad · 22 de março de 2016 às 11:22

    Beto o principal você já entendeu, não caia nesta armadilha: não devemos tratar a doença, mas o ser humano. A doença não vem do nada, ela tem uma razão de ser que precisa ser olhada. O caminho é o autoconhecimento, a mudança de estilo de vida (pq saúde não cai do céu) e combinação de tratamentos (então tratar o ser humano cmo um todo, que é o preceito da medicina integrativa que divulgamos na ONG).
    E claro, como vc mesmo disse, é preciso uma disposição interna da pessoa querer transformar aquilo que não está bom. Ninguém pode curar ngm, apenas a si mesmo.

    Veja esta série de vídeos pra vcs irem se educando sobre os caminhos a buscar: https://www.youtube.com/watch?v=FcxZWuRrbvE
    Veja este vídeo abaixo pra entender oq digo sobre a mensagem da doença, falamos sobre depressão, mas na verdade ele serve para qlquer coisa, pois vc verá, a base é uma só: https://www.youtube.com/watch?v=G2U2Y_f9L8g

    Se se identificarem, voltem a escrever pra que possamos orientar no que precisarem! Um beijo!

Pedro · 31 de janeiro de 2016 às 09:45

Gostei muito da matéria e o mais importante é buscar uma cura, ainda que seja dito impossível curar, mas seja possível apenas minimizar o problema, creio q um dia a Medicina e a psicoterapia sejam capazes disso, assim como a 100 (cem) anos todos os casos de câncer eram irreversíveis. A verdade é que sempre fui taxado de um cara emotivo e passional, um pouco excêntrico, impulsivo, pavio curto, mas de bom coração , afui diagnosticado em Janeiro desse ano como portador do transtorno boderline de personalidade e aí tudo passou a fazer mais sentido pra mim, sinto como se o charme e o mito daquele cara visceral ruíram com o diagnóstico, mas não quero q todas as minhas ações, erros e acerto do passado sejam justificadas como sendo culpa do transtorno…quero as redias de minha vida, hj aos 36 anos de idade, quanto tempo disperdisados, quantas chances profissionais, quantas mudanças de vidas e rupturas sem sentido enfim, ao longo dessa trajetória fui diagnosticado como depressivo, pior de tido é q existe o preconceito e estigmas de um portador de transtornos mentais…pq antes do diagnóstico vc era só um cara animado q agitava a galera, talvez um pouco “porra-loca”, mas depois do diagnóstico as pessoas te olham diferente vc passa a ser apenas um doente mental passível de pena..nunca me senti tão só…então quero fazer parte de um grupo desses q seja produtivo, que me ensine a lidar com as situações de forma adquada e não disfuncional como os portadores desse transtorno constumam tratar a vida, é preciso foco na melhoria do paciente, senão o trabalho em grupo não passara de uma roda de conversa de desabafos e pedido de aprovação dos.. outros, visto q toda cagada foi feita pq estava fora de controle por ser portador de grave enfermidade sem cura.Um absurdo! Parabéns a quem redigiu essa matéria, Forte Abraço.

    Ana Maria Saad · 10 de fevereiro de 2016 às 17:12

    Pedro, o seu depoimento possui uma sabedoria menino! Isso porque você passou a pesquisar recentemente sobre o assunto, mas o seu guia interno com toda a sabedoria está te guiando, então ouça ele. Nós aqui na ONG temos exatamente a visão de que a doença não é a vida da pessoa, mas um parênteses, uma pequena parte da vida dela. E sim existe cura a medida em que focamos na saúde, o transtorno se manifesta pq por alguma razão existem feridas e sofrimentos que você precisa olhar. Mas Não acredite nos rótulos, acredite em quem você é. Portanto o diagnóstico que um médico te deu não te define, vc é um ser humano muito além disso. Então convido você a acompanhar a ONG e ganhar conhecimento sobre estes transtornos todos, abra a cabeça e saia da caixa e você perceberá quaão certo você está e os caminhos para a cura se abrirão. Comece vendo este vídeo: http://www.anamariasaad.com.br/depressao-nao-tem-cura-escute-o-que-essa-psiquiatra-neurologista-tem-a-dizer/
    Depois, caso se interesse, olhe o nosso Club da cachola, que é a nossa comunidade virtual onde reunimos td o conhecimento que vc precisa para mergulhar dentro de si, conhecer a medicina integrativa e ganhar a saúde que todo ser humano merece. A saúde verdadeira e não esta que a medicina convencional trata. Fazendo parte do club vc tem acesso ao nosso grupo de apoio, este realmente voltado para ações paa gerar saúde e não remoer doença e rótulos psiquiátricos! Um beijo e força na peruca, vc não está só! Volte a nos escrever!
    Saiba mais sobre o club aqui: anamariasaad.com.br/clubdacachola

dayane · 28 de agosto de 2015 às 01:11

meu nome é dayane , e eu sofro de transtorno bordelaine ,hoje com 24 anos ja passei por muitas mudanças fisicas emocionais e familiares,tomooo 8 remedios por dia , e o tratamento é muito caro ,muitas vezes entre quadros de pressivos e disociativos ja fiz algumas loucuras que me levaram a certas internaçoes ,eu percebi que minha cabeça pensa diferente , e que as açoes sao muito fortes para mim aos 15 anos ,sempre fui queta ,mais não meche com a fera ,pq mesmo medicada sou totalmente descontrolada se tirada do serio , eu vivi uma vida sofrendo ate que procurei um medico que me ajudou muito ,mais que tem condiçoes consegue fazer terapia e etc ,eu luto todos os dias para me manter viva ,pois tenho 2 filhos que não moram comigo ,muitos ja me chamaram de louca ,endemoniada,bipolar ,mais eu sei que minha cabeça pensa diferente das outras eu vejo as pessoas de outra forma , e não tenho medo de me espressar e me preocupar com que vão pensar ,pq ao envez de me trancar e chorar eu voou alto ,egt sonho ,uma pessoa de outro mundo ,posso ser manipuladora sim ,mais não aceito coisa erada e não suporto mentira ,aprendi que ser altentica e por pra fora ,nada pode me parar ,mais eu so magou quem me magoa ,e não tenho dó ,as pessoas falam coisas e não pensao ,um coisa muitoi irritante é ser chamada de gardenal ,mais eu fico quetinha não sei ate quando vou aguentar mais eu estou no limite ,pq é facil falar dificil e ser realista .Nao tenho medo da morte ,e não penso no dia de amanha ,pq eu gosto de viver ,e minhas cicatrizes ,sao minhas e eu amo elas,nunca me cortei com intençao de me matar e nem pretendo fazer ,mais eu gosto de sentir o prazer da dor e isso me deixa feliz ,não me arrependo de nada que eu fiz,ja fui comparada a pisicopata mais eu não sou eu so quero poder esvaziar minha mente que pensa e pensa ,quando sonho meus sonhos são reais desejos e vontades ,eu sei que falta muito mais eu tento ….levou 5 anos pra um dos meus familiares aceitarem e me ajudar a passar com um medico ,sempre fiz tratamento sozinha ,sempre dei o primeiro passo ,e hoje eu sei que eu me amo acima de tudo etodos pq sou jugada 24 horas por dia e não levo pesso para cama eu deixo tudo pra fora ,só deus par me ajudar …………………………………………

    Ana Maria Saad · 1 de setembro de 2015 às 20:34

    Dayne,

    vc faz terapia?

    Vc quer conhecer caminhos pra transforma isso e viver uma vida em paz? Com uma mente que vc controla ao inves de ser controlada por ela?

    Se sim veja esses videos: http://www.anamariasaad.com.br/ana-tv/

    e a gente vai conversando

    bjokaaaa

Os comentários estão fechados.

Passo a passo pra você tirar o melhor proveito das suas consultas - baixe de graça o Checklist do (Im)PacienteEu quero!
+