depressão como se curar

Minha ascendência, como uma boa brazuca, é uma mistureba italiana, espanhola, portuguesa – alienígena (claro) – e muitas pitadas libanesas e sírias.

Até fiz plástica no nariz, porque a mistura árabe com italiano gera a famosa napa de tucano, que pode ser bem charmosa. Mas no meu caso, a napa era igual de papai. E papai… (dá um post só dele).

Você também tem suas questões familiares,né! Então acho que você vai entender que é suficiente eu dizer: pior do que não ter tido pai, foi ter tido o pai que tive (heavy stuff)!

Enfim, quando morava em Londres uma árabe achou que eu era sua compatriota e chegou falando comigo na língua dela. Fiquei perplexa: “WTF (what the fuck?)? Como é possível que alguém no mundo entenda o que essa garota fala!”.

Sou uma Suicida Sobrevivente, me curei de uma GRAVE depressão e ansiedade, que me levaram ao pânico, fobia social e até mesmo compulsão alimentar.

Sei que quando a gente fala nesses assuntos da cachola, é como se fôssemos a árabe no estrangeiro: ninguém entende por#@ nenhuma, né!

depressão ana maria saadMuitas vezes nem mesmo os médicos e psicólogos conseguem captar o que queremos dizer.

Sabendo disso, seis anos depois de ter me curado, só cresce em mim a necessidade de traduzir a língua desse mal estar emocional pra ajudar quem sofre como eu sofri.

Afinal, como eu me curei da depressão não incluiu o apoio da minha família e muito menos da sociedade.

Mas mesmo assim, A CURA, não só da depressão, como também da ansiedade, pânico e outros transtornos da cachola, é plenamente possível.

Então nesse curto episódio da Ana TV divido com você como eu me curei com essas 4 simples dicas.

Aperta o play porque vc vai aprender em 5 minutos o que eu demorei 10 anos pra descobrir!

Twittável:"Todos nós nascemos ignorantes, mas é preciso trabalhar duro 
pra permanecer estúpido." Benjamin Franklin @anamariasaad

E se pegue pra criar! Você merece melhorar

#juntos somos mais fortes
Força na peruca lindeza!
Bjoka com Amor
Ana Maria Saad
Foto: acervo pessoal
Categorias: SuicídioTratamentos

Ana Maria Saad

ET em missão na Terra: te empoderar com o Super Di Lifestyle - Você emotionally fit

33 comentários

ALEXANDRA MANCCINI DE OLIVEIRA · 4 de agosto de 2016 às 13:04

Boa tarde Ana! Que sua luz continue atingindo cada vez mais pessoas e muita gratidão pelo seu trabalho. Queria te pedir uma ajuda: como faço pra melhorar minha disciplina, ou melhor, o que é ter disciplina? Acho que nos 3 primeiros itens, auto educação, auto conhecimento e eu observador, eu estou caminhando bem… mas na questão da disciplina, minha vida é muito louca, muitos afazeres, trabalho por conta própria, filhos, etc… então, é uma caca eu conseguir me disciplinar… fico correndo atras do próprio rabo, com muita auto sabotagem, procrastinação gigante, CANSAÇO. Não tenho organização e meu tempo é sempre curto pra tudo o que preciso fazer; tudo isto acaba gerando tristeza e frustração.
Beijos minha linda e muito obrigada!

    Mariana Bottan · 4 de agosto de 2016 às 15:12

    Alexandra a disciplina é:
    1 -Ter claro aquilo que vc quer: pq vc quer se curar?
    2- Ter ações persistentes pra isso (não é fazer só qnd tem vontade, é fazer sempre, todo dia, pq vc tem claro o pq quer melhorar!)
    Essa é a chave. A nossa saúde e o autocuidado devem ser nossas prioridades máximas, então tenha claro o pq vc quer ter disciplina, oq vc tem perdido, oq vc tem sentido falta.. e então isso te dará forças pra ter Super Di ao se lado e fazer oq precisa ser feito!
    ÓBvio, a questão do autoboicote vc resolverá com autoconhecimento e terapia! Pq estes programas são fortes mesmo, mas vc deve ser mais forte com eles, e isso se faz com autoconhecimento!

    Estes posts podem te ajudar mais:
    http://www.anamariasaad.com.br/conheca-a-super-heroina-que-te-cura-da-depressao/
    http://www.anamariasaad.com.br/faq/

    O nosso club da cachola tbm vem pra te ajudar exatamente no ponto da disciplina e crenças limitantes: anamariasaad.com.br/clubdacachola

    Mas parabéns por sua consciência, vc ja ta no caminho! Adorei ver seu comentário!
    Bjoks =)

Claudio · 22 de julho de 2016 às 15:39

Querida Ana, está sendo muito difícil me manter seguro à corda, e não me deixar cair no abismo. Fui demitido (graças aos ladrões da Lava-jato), meu casamento está ruindo, e sinto que minha capacidade de concentração está seriamente afetada. Pra completar, os medicamentos, junto com meu estado emocional, afetaram minha libido de tal forma, que há meses não sinto tesão. Não tenho desejo. Por favor, não deixe de mandar seus “posts”. Não estou me entregando, não estou me fazendo de vítima, nem usando de autopiedade. Tenho 52 anos. Convivo com isto desde a adolescência. Você é um exemplo. Mas muitas vezes me pergunto: terei tempo de “beijar” a vida no rosto, abraçá-la e viver e paz com ela? Um beijo.

    Mariana Bottan · 28 de julho de 2016 às 14:34

    Claudio,sempre há tempo. mas será que vc está fazendo oq precisa ser feito? Aquilo que a gente sempre fala de se pegar pra criar? Oq vc está fazendo pra resgatar sua saúde? As dificuldades ao nosso redor só são um espelho de como estamos nos sentindo por dentro. então se acolha, se escute, veja oq vc tá precisando. e busque ajuda. Veja se nosso guia pode te ajudar nisso: http://www.anamariasaad.com.br/guia-vencer-a-depressao-e-ansiedade-panico/

    Força, se tiver qlquer dúvida nos escreva,tá? Bjoks, estamos contigo!

Kellen · 22 de julho de 2016 às 00:15

Ué….to tentando baixar as dicas, ali em cima onde está escrito Clique Aqui”, mas quando clico cai numa pagina estranha chamada leadlovers… Será que é só comigo?

    Mariana Bottan · 26 de julho de 2016 às 10:13

    Kellen, desculpe o inconveniente.. nós estamos fazendo umas mudanças no nosso serviço de marketing e o link foi mudado.
    Pra vc inscrever e receber nosso guia só usar este link: anamariasaad.com.br/inscreva

    Qlquer dúvida nos escreva, tá?
    Beijoks e baixando o guia vc estará se inscrevendo pra receber nossas dicas, pois em breve teremos muitas novidades@ =)

Giovanna · 13 de julho de 2016 às 04:03

Ana, qual teu ritual para não ocorrerem recaídas? E o que vc opina sobre a terapia cognitivo-comportamental? Estou passando com uma terapeuta dessa linha que faz parte da medicina integrativa da unifesp. Eu já tenho um conhecimento do eu-observador por conta própria, a partir do que vc já citou (te acompanho há uns anos), e consegui desenvolver isso, mas ainda tá tudo uma bagunça. Aguardo sua resposta, beijocas

    Mariana Bottan · 15 de julho de 2016 às 09:57

    Gi, o grande segredo é encontrar profissionais humanos que foquem na sua saúde, na sua história de vida e te tratem cmo um todo. Integrativa: corpo, mente e Ser. Por isso batemos tanto na tecla de combinar tratamentos, por isso busque aliar outras terapias e perceba se seu terapeuta está te ajudando a transformar os padrões negativos da sua vida.

    Neste guia aqui esclarecemos bastante coisa:
    Leia: http://www.anamariasaad.com.br/guia-vencer-a-depressao-e-ansiedade-panico/

    O segredo é ter disicplina pra mudar seus hábitos e persistir nos tratamentos e na mudança de estilo de vida.
    NO item 8 damos algumas dicas sobre quais tratamentos vc pode buscar!

Monyk · 11 de julho de 2016 às 13:05

Acabei de conhecer teu canal Querida e foi Deus estou passando por um momento onde me sinto um nada no mundo como se fosse invisível ,estou em um relacionamento onde só eu gosto pois meu companheiro disse que já não me ama mais ,eu não sei se isso é de certeza pois ele é muito perfeccionista e não fala muita coisa pra mim então ele diz que não ama mais estamos juntos ! Estou sofrendo muito pois sou ciumenta ,agressiva,não tenho autoestima ,me sinto inferior mesmo que algumas pessoas diz que sou bonita meu parceiro sempre diz palavras que me machuca ,que sou gorda peso 75 kg que sou tapada ,burra,ant social,não tenho amigos,diz que não sou boa de cama,sempre me faz vergonha na frente dos outros me tirando querendo ser melhor que todos dizendo que eu falo errado,que não sei me comporta que sou muito ciumenta enfim é tanta coisa não dá pra falar tudo …????Tenho uma amiga que conheço só no virtual que sempre me dá conselho e palavras de ânimo mais não adianta sempre estou amargurada ,sou tímida ,tenho medo de está entre muitas pessoas ,e vergonha porque não posso falar em publico pois tenho problemas nos dentes e não consigo sorrir eu estou lendo muitos artigos seus espero que me ajude e já estou me sentindo muito grata a Deus pela sua vida!!! Que Jesus te abençoe e continue abençoado sua trajetória para poder ajudar outras pessoas atrás do seu site de sua ong e de seu testemunho !!! Me perdoa os erros aqui faltando vírgulas,pontos,Obrigado desde já por ler meu comentário !!! Deus te abençoe em nome de Jesus !!!!

    Mariana Bottan · 15 de julho de 2016 às 10:25

    Monyka, meu amor, grata por seu imenso carinho. Vc é uma pessoa doce e maravilhosa, todo ser humano tem seu valor. Se vc tá permitindo que os outros te tratem desta maneira é um sinal de que algo não vai bem dentro de vc.
    O caminho? Buscar ajuda de um bom terapeuta humano e vc passar a se acolher acima de tudo. Vc se amar e se respeitar. Isso é uma trajetória, que precisará de ajuda de um bom profissional pra te auxiliar, pq isso denecessita romper velhos padrÕes enraizados na sua mente.

    Leia este guia e vc entenderá mt coisa e aqui te damos muitas dicas de onde buscar ajudas: http://www.anamariasaad.com.br/guia-vencer-a-depressao-e-ansiedade-panico/

    Força, vc não ta só!

David · 23 de junho de 2016 às 18:38

Fiquei curioso com essas dicas, principalmente na parte do eu interior!

Cintia · 22 de abril de 2016 às 23:50

Começo te agradecendo pelo trabalho, realmente eu estava aqui a cerca de uma duas horas lendo carta de suicídio, e pesquisando como me suicidar de forma rápida e indolor….e vc me deu uma pontinha de esperança… Pena que talvez seja tarde de mais
Sofri abuso na infância tbm, mas não por membro da família e nunca consegui dividir isso com ninguém, minha família nunca me pareceu normal ou feliz ou unida…
Eu quase nem falo com minha irmã e temos brigas constantes com meus pais…
Sempre tivemos diferenças e eu sempre tive ressentimentos por eles não me ajudarem na vida, nem de forma emocional, nem financeira, nem educacional…
Hoje tô no fundo do poço e tuas postagem me fizeram perceber que além de me destruir eu destruí a vida da minha filha mais velha…ela fugiu de casa, foi morar com os avós paternos e não quer saber de mim…e tem a minha de 3 anos, que apresenta vários problemas comportamentais…e percebo que isso é tudo culpa minha, eu preciso de ajuda, de socorro, mas não sei nem por onde começar…

    Ana Maria Saad · 25 de abril de 2016 às 11:44

    Cintia, meu amor, obrigada pelo carinho e fico feliz que este material te ajudou! Primeiro, eu prefiro encarar a questão de “vc ter estragado a vida da sua filha e sua outra pequena estar com vários problemas comportamentais” como um avanço no sue processo e não como um fardo. Sabe pq? Pq isso significa que vc está atenta e está consciente. E qnd isso acontece, significa que saímos da inércia da vida e passamos a assumir as rédeas dela! Então por mais difícil que seja encarar isso tudo, esse é o primeiro passo, é entender que vc e ngm mais precisa fazer algo! E
    tente encarar as coisas sempre por um novo viés: oq eu posso aprender com isso tudo? Hj vc está mal e a primeira coisa a se fazer é buscar uma boa terapia, tá? Encontre um terapeuta holístico, transpessoal que possa te acompanhar neste processo. Qnd vc estiver mais fortalecida, vc poderá ir fazendo o caminho de volta com suas filhas. E claro, pra sua pequena, dê mt amor, carinho e atenção pois só isso são remédios incríveis que uma criança precisa. E tenha paciência, a seu tempo td vai se acertando. Outra terapia que te aconselho buscar é a Constelação Familiar, pois qnd o campo familiar é denso e disfuncional precisamos mt recorrer a esta técnica, pois a família é o centro de todos os nosso problemas. Veja por favor toda a série de 6 posts que fiz sobre o suicídio pra vc entender esta questão da família, do abuso e pq é tão importante tratar isso (e melhor de tudo: tem jeito! pra td tem jeito!).
    Leia aqui: http://www.anamariasaad.com.br/como-se-matar-de-modo-rapido-o-suicidio-perfeito/

    Da onde vc é? Se for de SP, RJ ou Campinas até posso te indicar profissionais que eu conheço pra vc buscar. Mas se não for, td bem, neste guia aqui abaixo fizemos pra ajudar as pessoas a encontrarem as terapias certas: anamariasaad.com.br/inscreva

    Leia este material e se vc se identificar, volte a escrever e te ajudaremos a encontrar as ajudas certas!
    Beijos e força, vc ta no caminho!

Flavia · 21 de janeiro de 2016 às 17:25

Desde que me entendo por gente, nunca fui feliz de fato e isso piorou depois que fui para uma escola e sofri bulling. O pior é que sempre reclamei com meus pais e de nada adiantava. Então, já tinha a sensação que não me amavam, com a falta de apoio deles eu tive certeza.

No meu primeiro relacionamento, que foi aos 28 anos, me casei e fui traída. A sensação de desamparo e falta de amor só aumentava.

Hoje estou casada pela segunda vez, meu segundo relacionamento durante toda minha vida. Tenho 35 anos e meu marido cuida de mim e diz que me ama. Ele nunca fez nada que me fizesse duvidar da sua fidelidade, mas por causa de tudo que relatei, não me sinto amada e não tenho confiança.

Quando eu era mais nova eu pensava em me matar, mas não queria fazer isso pq achava que meu pai iria sofrer.

Hoje não penso em suicídio, mas rezo pra Deus me levar. Quando sei que alguém morreu fico pensando: por que não eu?

Quando eu era pequena e alguém que eu conhecia morria, eu tinha inveja e nunca ficava triste.

Hoje me sinto só, minha família não é muito unida. Minha ligação maior é com o meu pai, mas nunca tive coragem de dizer pra ele o quanto sofria. Nunca cheguei a conversar com ele porque nem eu sabia o que estava sentindo. Eu dei alguns problemas na adolescência e ele pagou uma psicóloga na época, mas foi o máximo que ele soube.

Hoje faço psicanálise, mas esse auto conhecimento, é difícil saber.

Meu marido não entende apesar de dizer que me ama. Ele veio de uma família alegre e bem estruturada e por isso acredito que ele não consiga entender muito bem. Quando eu desabafo com ele, sinto vergonha por saber que ele não entende, como a maioria das pessoas não entendem.

Ele me ligou do trabalho, disse pra não demorar pra chegar em casa. Estou de férias e sozinha, então por isso me sinto mais solitária, ai ele disse: vou sair a hora que eu quiser sair! Quer mandar na hora que saiu. Só que ele reclama quando faço hora extra no trabalho. Eu faço hora extra trabalhando e não fico batendo papo. E quando sei que ele está em casa, evito fazer hora extra.

Aí, tudo isso só piora as coisas. Já pensei em me separar mas isso não me ajudaria em nada, só faria eu me sentir mais solitária. Mas viver casada tendo a sensação que não sou amada é muito ruim também!

Não sei o que faço!

    Ana Maria Saad · 29 de janeiro de 2016 às 16:56

    Flavia, sabe, a origem de tudo isso é a falta de amor por si mesma. Isso faz parte de quem sofreu traumas como vc e teve uma família disfuncional. Não é sua culpa e existe como resolver isso, mas é preciso buscar mesmo entrar em contato com tds estas dores, entender da onde vem e principalmente re-significar isso td e seguir adiante, uma pessoa transformada. é o convite que estes sintomas estão te fazendo> olhar para si. Veja este documentário para entender porquê vc precisa olhar para si se quiser encontrar essa paz interior: https://www.youtube.com/watch?v=G2U2Y_f9L8g
    O processo de desenvolver esse auto amor e confiança em si mesmo será aos poucos, conforme vc for se conhecendo e entrando em contato com estas feridas. Veja esta aula aqui para entender o tipo de técnica que vc pode buscar: http://www.anamariasaad.com.br/cura-da-depressao-bipolaridade-borderline-etc/

    E principalmente, se inscreva no nosso blog, leia este guia aqui e se achar que a ONG pode te ajudar nesse processo volte a me escrever: anamariasaad.com.br/inscreva
    Mas tenha fé que isso passa, vc só precisa saber onde buscar e agir!
    Beijos e força na peruca, aqui vc é compreendida!

francelio cabral · 29 de dezembro de 2015 às 10:10

ana a seis meses eu mudei de emprego.e este novo emprego e muito parado e eu fico o dia inteiro convivendo com esse mau estar e isso nao me deixa ter disciplina.quando eu chego em casa nao consigo fazer mais nada.aproposito eu me escrevi no segundo congresso da depressao essa semana. beijos francelio cabral.

    Ana Maria Saad · 29 de dezembro de 2015 às 16:32

    Francelio,

    amado vc ta fazendo tratamento?

    e o congresso ja foi amado, teremos outros mas ainda nao temos data definida. no entanto fizemos o guia gratuito que vc recebe quando se inscreve nsee link: http://www.anamariasaad.com.br/inscreva

    vc recebeu?

    leia e vamos nos falando

    bjoka

Poly · 22 de dezembro de 2015 às 08:40

Bom dia Ana!

Muito bacana a sua forma de explicar questões que ainda são tabu para muitos em nossa civilização.

Eu consegui entender o processo de autoconhecimento através da análise. Meu psicanalista me ajudou muito, inclusive a entender que a maior RESPONSÁVEL por este processo sou eu. É um processo interessante porque quanto mais tentamos nos tornar pessoas melhores através da autoconsciência, mais camadas vão se mostrando para serem desvendadas. É um caminho longo, lindo, e que as vezes dói bastante. Mas ao meu ver, se enfrentar é sempre o melhor remédio, de preferência com o auxílio de um outro ser. Um grande abraço!!

    Ana Maria Saad · 29 de dezembro de 2015 às 11:04

    Oi Poly,

    bem vinda!

    e fico feliz de saber que vc ta no seu caminho de despertar.

    parabens pela coragem!!!

    bjokaaaaaaa

Alex · 18 de dezembro de 2015 às 17:54

Em quanto tempo é enviado o guia gratuito? Já me inscrevi. Grato.

marina l queiroz · 14 de dezembro de 2015 às 08:52

Ana não sei que fazer pois a angustia a depressão a vontade de viver me tira do serio

Fabíola · 8 de dezembro de 2015 às 13:23

Ana, Ana… como tá difícil! Não consigo ter disciplina e eu preciso e quero muito ter. Bjos

    Ana Maria Saad · 12 de dezembro de 2015 às 19:17

    Bela, disciplina pra fazer o que? como é seu dia?

Cristal · 1 de dezembro de 2015 às 21:12

Tô na merda.

    Ana Maria Saad · 4 de dezembro de 2015 às 17:02

    e vai fazer o que a respeito?

Daniela · 1 de dezembro de 2015 às 12:14

Ana você é show! Tem me ajudado bastante! Gratidão! 🙂

    Ana Maria Saad · 4 de dezembro de 2015 às 17:03

    que bom Dani! fico muiiito feliz com sua mensagem! foi como um cafuné gotoso! 🙂

MONICA · 25 de novembro de 2015 às 18:27

Oi Ana, tudo bem?
estou começando a ouvir você e estou começando a aprender agora.
Eu tive depressão e não conhecia os sintomas da doença. Procurei um clínico geral e fiz diversos exames porque eu tinha certeza de que tinha alguma doença. Estava tudo ok. Procurei um psiquiatra e comecei a tomar medicação. Pamelor de 25mg e rivotril de 2,0 mg. Fiquei dopada e esperando dar certo porque o prazo era de 15 dias para começar a fazer efeito. Hoje estou melhor. Tomo um pamelor por dia e meio de rivotril de 0,5. Já tentei tirar mas fiquei deprimida e voltei a tomar um pamelor de um por dia.
Gostaria de falar melhor do que a minha mente faz comigo. Da “sabotagem” que ela apronta. Por favor me dê um ok para eu saber que você leu minha mensagem. Obrigada.

    Ana Maria Saad · 27 de novembro de 2015 às 13:10

    Amada,

    so remedio nao melhora ninguem. vc pegou seu guia gratuito pra saber quais outros tratamentos precisa buscar se quiser melhorar e colocar sua mente sabotadora a seu serviço?

    é só entrar nesse link, ok? http://www.anamariasaad.com.br/inscreva

    vamos nos falando

    bjokaaaaaaaaa

luiz clauadio n. silv · 14 de novembro de 2015 às 15:07

gostei muito!isso vai me ajudar muito.

Os comentários estão fechados.

Passo a passo pra você tirar o melhor proveito das suas consultas - baixe de graça o Checklist do (Im)PacienteEu quero!
+